Translate

segunda-feira, 26 de setembro de 2016

Pai que matou filhos deixou carta: 'Não poderiam conviver com traição' Crianças tinham 3 e 4 anos e foram encontradas na cama junto com o pai. Doutor está internado e responderá por homicídio duplo qualificado.


26/09/2016 06h30 - Atualizado em 26/09/2016 08h29

Pai que matou filhos deixou carta: 'Não poderiam conviver com traição'

Crianças tinham 3 e 4 anos e foram encontradas na cama junto com o pai.
Doutor está internado e responderá por homicídio duplo qualificado.

Renata Fernandes*G1 Rio Preto e Araçatuba
 O zootecnista que matou os dois filhos de 3 e 4 anos a facadas e tentou cometer o suicídio escreveu uma carta "explicando" a motivação do crime, que chocou moradores de um bairro de classe média, o Jardim Ouro Verde, em São José do Rio Preto (SP), no domingo (25). No bilhete escrito à mão, ele relata que descobriu traição e que não suportaria que os filhos vivessem sabendo disso. 
A carta escrita à mão foi encontrada pela polícia no quarto em que ele estava com as crianças. Hugo Imaizumi tem 41 anos e é doutor em Ciência Animal pela Universidade de São Paulo (USP). No bilhete, ele expressou decepção e se despediu da mulher, uma fisioterapeuta, de 39 anos.
Segundo o delegado José Luiz Chain, que atendeu à ocorrência, a mulher relatou que o casamento já estava praticamente acabado por conflitos e incompatibilidade. Na carta, o zootecnista se despede de parentes e alega que o "componente infidelidade" foi a motivação do crime.
"É claro que ele queria puni-la [a mulher] tirando a vida dos dois filhos e tentando tirar a própria vida, sem sucesso. Ele está internado e, ao que me consta, sem risco de morte."
Chain afirma que Imaizumi está preso em flagrante, sob vigília no Hospital de Base (HB), e assim que receber alta será encaminhado ao Centro de Detenção Provisória (CDP), onde responderá por homicídio duplo qualificado. A pena é de 12 a 30 anos de reclusão. "As crianças não puderam se defender e, conforme análise técnica, poderá caber ainda motivo fútil. Acima de tudo foi uma barbaridade, uma tragédia que abala toda a cidade", diz o delegado.
Homem deixou carta explicando motivação do crime (Foto: Reprodução/TV TEM)Homem deixou carta explicando a motivação do crime (Foto: Reprodução/TV TEM)
Feridos no pesçoco
Segundo a polícia, a fisioterapeuta acordou no meio da noite e viu que o marido não estava ao seu lado. Ela foi até o quarto dos filhos e percebeu que estava trancado. A polícia informa que ela foi até a janela do quarto e viu as duas crianças e o marido deitados na cama e feridos no pescoço.
Depois de pedir socorro para os vizinhos, a fisioterapeuta correu para a Unidade de Pronto Atentimento (UPA), que fica a três quarteirões da casa dela. Vizinha há pelo menos 10 anos, a dona de casa Maria de Lourdes Vieira diz que está chocada. "Estava deitada e vi uns clarões e até achei que era assalto, quando abri a janela a vi aqui na frente gritando que o marido tinha matado os filhos, uns anjinhos que vinham me chamar no portão. Foi muito chocante, a gente até perde o sentido na hora, porque a gente não sabe o que faz. Os vizinhos da frente que a acolheram, porque ele se trancou com os celulares no quarto", diz.
Entenda o caso
De acordo com informações do boletim de ocorrência, por volta das 2h, a mãe das crianças foi até a Unidade de Pronto Atentimento (UPA) do Jardim Tanguará e, desesperada, avisou a um dos guardas municipais que seu marido havia matado os dois filhos a facadas.
Os guardas foram até a casa com a mulher, onde encontraram o homem deitado na cama com as duas crianças. Conforme o registro policial, eles tentaram reanimar as crianças até a chegada do resgate, mas não conseguiram. Os dois irmãos foram mortos pelo pai com facadas na jugular, segundo a polícia.
Ele teria tentado cometer o suicídio em seguida e foi encontrado com várias perfurações no peito e ainda com a faca cravada no pescoço. Apesar de gravemente ferido, ele foi socorrido com vida ao Hospital de Base de Rio Preto, onde está internado na Unidade de Terapia Intensiva (UTI). As crianças foram enterradas no domingo (25) à tarde, no cemitério Jardim da Paz, em Rio Preto.
* Colaborou Victor Pizeta/TV TEM
Família morava no Jardim Ouro Verde em Rio Preto (Foto: Reprodução/TV TEM)Família morava no Jardim Ouro Verde em Rio Preto (Foto: Reprodução/TV TEM)
copiado  http://g1.globo.com/sao-paulo/sao-jose-do-rio-preto-aracatuba/

Dallagnol culpa portugueses por corrupção no Brasil. É que ele não conhece a Austrália, coitado. Moro manda prender Palocci. É o Simão Bacamarte de Curitiba! ..


Dallagnol culpa portugueses por corrupção no Brasil. É que ele não conhece a Austrália, coitado.

O promotor Deltan Dallagnol, narra a jornalista Maria Cristina Fernandes, no Valor, diz que a origem da corrupção no Brasil está nos primeiros colonos portugueses que, segundo ele, eram a escória:  “Quem veio de...
firstfleet

Dallagnol culpa portugueses por corrupção no Brasil. É que ele não conhece a Austrália, coitado.

firstfleet
O promotor Deltan Dallagnol, narra a jornalista Maria Cristina Fernandes, no Valor, diz que a origem da corrupção no Brasil está nos primeiros colonos portugueses que, segundo ele, eram a escória:
 “Quem veio de Portugal para o Brasil foram degredados, criminosos. Quem foi para os Estados Unidos foram pessoas religiosas, cristãs, que buscavam realizar seus sonhos, era um outro perfil de colono”.
Paulo Henrique Amorim, em vídeo publicado no Conversa Afiada, diz que o chefe da lava Jato é um idiota.
O Dr. Dallagnol é pior, é um ignorante.
Talvez não tenha ,como a maioria dos brasileiros, ancestrais portugueses, não sabe coisa alguma de nossa história.
Não sabe, por exemplo, que foi um possível degredado, João Ramalho, que se casou com a índia Bartira, depois Isabel Dias, pelas mãos do jesuíta Manoel da Nóbrega, a quem ajudou a fundar o colégio e a vila que se tornariam a cidade de São Paulo.
Mas os degradados no Brasil foram bem poucos, doutor.
Muitos, eles foram sabe onde? Na Austrália, que o senhor deve achar um país civilizadíssimo.
Para lá foram mandados, doutor, “só” 168 mil prisioneiros das cadeias da Inglaterra.
É, é isso mesmo, 168 MIL!
Se o senhor precisar para entender, a gente pode fazer um powerpoint contando a história da “First Fleet” (Primeira Frota). Tem até uns selos comemorativos que vão ficar lindos na apresentação, pode crer. Mostram os 11 navios que levavam nos porões, acorrentados, transportavam setecentos e trinta e seis degredados e cento e oitenta e oito mulheres de “reputação duvidosa”da Inglaterra para a Austrália.
Aliás, a First Fleet passou aqui pelo Rio de Janeiro, mas não deixou ninguém, levou todo mundo lá para a terra dos cangurus.
Portanto, doutor, neste assunto de História não funciona este seu esquema de “não tenho provas, mas tenho convicção”.
Se o seu Direito for igual à sua História e Sociologia, Deus nos livre, o o sujeito é ladrão porque o o tatatatatatatatatataravô era um dregredado.
Porque os degredados que não foram o ponto de partida da colonização do Brasil o foram na Austrália, e quase três séculos depois dos nossos poucos “ancestrais criminosos”. Está até “mais fresquinho” este passado.
Mas a Austrália é um país que todos, inclusive o senhor, apontam como “sério”.
Ou será que é porque falam inglês?





Moro manda prender Palocci. É o Simão Bacamarte de Curitiba!

Um verdadeiro furor encarcerador parece ter se apossado do Dr. Sérgio Moro. Agora ninguém mais é chamado para depor. É logo preso, aos costumes. À base, por enquanto, de um ex-ministro por semana. A...
bacamarte
Um verdadeiro furor encarcerador parece ter se apossado do Dr. Sérgio Moro.
Agora ninguém mais é chamado para depor.
É logo preso, aos costumes.
À base, por enquanto, de um ex-ministro por semana.
A razão? “Depois explico”.
Hoje foi a vez de Antonio Palloci.
Recolhe, Taborda, como no velho personagem de Jô Soares.
Ou como Simão Bacamarte, d’O Alienista de Machado de Assis, que como via sinais de loucura em todos habitantes da sua  Itaguaí , internou no seu hospício, a Casa Verde, quatro quintos da  população da vila.
Só não engaiolava os pássaros, menos ainda os tucanos, muito numerosos nas matas do Rio de Janeiro, então.
O Dr. Simão, lembram os que leram, afinal, acabou por libertar todos e internar a si próprio.

 copiado  http://www.tijolaco.com.br/blog/

Venturas e desventuras do blogueiro dublê de vendedor de livros Eu, positivamente, não nasci para ser vendedor. Mas acabei por meter-me, por necessidade, na empreitada de vender o livro Golpe16, onde partilho com outros 19 blogueiros impressões, dores e relatos desta página infeliz de...

golpe16gif

Venturas e desventuras do blogueiro dublê de vendedor de livros

Eu, positivamente, não nasci para ser vendedor. Mas acabei por meter-me, por necessidade, na empreitada de vender o livro Golpe16, onde partilho com outros 19 blogueiros impressões, dores e relatos desta página infeliz de...

golpe16gifVenturas e desventuras do blogueiro dublê de vendedor de livros

golpe16gif
Eu, positivamente, não nasci para ser vendedor.
Mas acabei por meter-me, por necessidade, na empreitada de vender o livro Golpe16, onde partilho com outros 19 blogueiros impressões, dores e relatos desta página infeliz de nossa História.
E não é que o livro vendeu feito água no deserto?
Achei que venderia 300, foram-se em três dias.
Venderam-se pouco mais de 600, até agora, dos 800 livros que já comprei da editora.
Porque vou parar nestes 800, embora pudesse ir além, já que há procura.
Mas tem de existir uma infraestrutura que não tenho, nem posso ter.
Você manda o boleto por e-mail, o e-mail não chega ou cai na caixa de spam do interessado e ele não vê.
Tem de embalar (com cuidado, colocando plástico bolha, porque ninguém quer um livro amassado), etiquetar, pegar a fila do correio, dar conta de que os pedidos não fiquem “mofando” para o despacho e, afinal, entender os tais arquivos de remessa e retorno que o banco produz.
E enfrentar os sistemas “automáticos” que te exigem enviar os boletos por e-mail de um em um!
E que, muitas vezes, não registram como pagos o que o comprador acha que pagou, mas na verdade “agendou” para a data do vencimento.
Com a greve dos bancos, muitas vezes nem isso.
E tome de formulário preenchido errado. Endereço errado, CEP errado e o pior: e-mail errado, sem o que não se consertam os outros erros.
E tome de fazer embalagens e anotações de centenas de livros que estão sendo tarefas diligentemente desempenhadas  minha filha, nas horas vagas que já não tem.
Sem ela, faria mais trapalhadas do que já fiz.
Uma delas foi ter despachado um bocado de livros que nem pagos haviam sido. Mas acabou sendo uma “trapalhada boa”, porque quase todos me mandaram e-mail e até carta dizendo “recebi, mas não paguei”. E esquenta o coração ver que é gente honesta e digna que foi lá comprar porque não apenas quer o livro, mas deseja ajudar o blog a sobreviver.
Todos têm sido sempre muito gentis e compreensivos e eu devo, além da gratidão, a cada um o retorno, o bom atendimento e “de gente”, não “de máquina”. É trabalho, embora também seja uma oportunidade de agradecer pessoalmente. Para você ter uma ideia, o e-mail destinado ao livro  (livrogolpe16@gmail.com) tem “apenas” 916 e-mail enviados e recebidos.
Portanto, tem sido “cortar um dobrado” dar conta de tudo. Como se vai dar.
Quem pediu, pagou, não pagou, ou pagou e  não recebeu me fará uma imensa gentileza se escreve para o e-mail livrogolpe16@gmail.com. Falta  bem pouco para colocar a venda em ordem, apesar da greve bancária que andou prejudicando tanto o pagamento quanto o controle do dito cujo.
Mas isso acaba prejudicando o que, ao contrário de vender, acho que sei fazer: escrever, analisar e dar minha visão sobre os fatos, o que é a razão de ser deste blog.
Assim que chegarem os últimos  pedidos  vou interromper a venda, embora ela ajude muito na sobrevivência do blog, porque ajuda a manter o blogueiro que, apesar do que dizem os insensatos, nunca teve patrocínio senão de seus leitores.
Muito obrigado a todos.
PS. Ah, o link para comprar  está aqui.
copiado  http://www.tijolaco.com.br/blog/

Temer, chama o Alexandre Frota para te defender do Faustão… Veja o vídeo.

faustao

Temer, chama o Alexandre Frota para te defender do Faustão… Veja o vídeo.

Temer, chama o Alexandre Frota para te defender do Faustão… Veja o vídeo.

faustao
A “reforma educacional” de Michel Temer, editada por Michel Temer por Medida Provisória, virou  o que é.
Uma piada.
Até Fausto Silva, o pedagogo, critica a exclusão da Educação Física, com toda a razão, porque o sedentarismo e a obesidade infantil/juvenil são problemas de saúde pública que o exercício escolar ajuda a aliviar.
Mas estamos entregues a amadores – se é que é possível colocar a palavra amor nesta história – que querem fazer palco de experiências demagógicas.
Mesmo massacrada, aviltada, desvalorizada, a comunidade educacional brasileira não pode ser desconhecida numa mudança destas.
A não ser que ela não seja para valer.
Ou melhor, que seja para valer muito, para as escolas privadas que podem oferecer um ensino que saia da mixórdia em que se quer transformar (mais)  o ensino público.
É melhor chamar o assessor informal do Ministro da Educação, o pornoator Alexandre Frota, par fazer um debate ao vivo…

Òrra, meu…

Temer, chama o Alexandre Frota para te defender do Faustão… Veja o vídeo. aqui

A “reforma educacional” de Michel Temer, editada por Michel Temer por Medida Provisória, virou  o que é. Uma piada. Até Fausto Silva, o pedagogo, critica a exclusão da Educação Física, com toda a razão,...

 copiado  http://www.tijolaco.com.br/blog/

Paulo Pimenta: Moraes quer incendiar o País


Paulo Pimenta: Moraes quer incendiar o País

O deputado Paulo Pimenta (PT-RS) afirma que a prisão de Antônio Palocci, anunciada num comício político do PSDB pelo ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, confirma que o Brasil já vive um estado de exceção, em que a Justiça foi capturada por interesses políticos; "Esse Ministro extrapolou todos os limites do razoável. É um irresponsável que quer incendiar o País como fez com São Paulo", diz Pimenta; Moraes anunciou a prisão ao lado de Duarte Nogueira, que é o maior adversário de Palocci em Ribeirão Preto (SP); Pimenta também questiona o que aconteceria na imprensa brasileira, se, na véspera, José Eduardo Cardozo anunciasse a prisão de algum adversário político
26 de Setembro de 2016 às 07:40
247 – O deputado Paulo Pimenta (PT-RS) afirma que a prisão de Antônio Palocci, anunciada num comício político do PSDB pelo ministro da Justiça, Alexandre de Moraes, confirma que o Brasil já vive um estado de exceção, em que a Justiça foi capturada por interesses políticos.
"Esse Ministro extrapolou todos os limites do razoável. É um irresponsável que quer incendiar o País como fez com São Paulo", diz Pimenta.
Moraes, que é filiado ao PSDB, anunciou a prisão ao lado de Duarte Nogueira (PSDB-SP), que concorre à prefeitura e é o maior adversário de Palocci em Ribeirão Preto (SP).
Leia, abaixo, alguns tweets de Pimenta:
Esse Ministro extrapolou todos os limites do razoável. É um irresponsável que quer incendiar o País como fez com São Paulo.
Não foi um pedido do MPF e sim direto do delegado da PF o pedido de prisão do Palocci. Na semana da eleição. estado de exceção declarado.
Só pergunto o seguinte: se o José Eduardo Cardoso ou Aragão, tivessem anunciado em um comício uma nova fase da lava jato e ela ocorresse?
No dia seguinte, na cidade onde eles anunciaram, qual seria a postura da imprensa brasileira e do MPF e STF? Só essa resposta me basta !!
 copiado  http://www.brasil247.com/


Faustão para bater "na porra desse governo" Temer (saiba mais aqui). "A Globo ganha na aparência de imparcialidade, escalando uma de suas estrelas para se indignar com uma corja que a emissora ajudou a colocar no poder, e o governo do golpe fica mais uma vez ciente de quem manda na parada", afirma ainda. "2017 está aí. Ou Temer reage ou cai para que eleições indiretas ponham Meirelles no trono." Leia, aqui, a análise de Kiko Nogueira no DCM.

A partir das primeiras horas de 2017 que Michel Temer aguarde o chumbo grosso que virá de todos os lados. Está cada vez mais evidente que ele será derrubado para que o Congresso faça eleições indiretas!
Aguardem...
DCM: se Faustão bateu foi porque a Globo mandou


:
"Não há nada que Faustão faça que não seja combinado com seus donos. Ele passa a impressão de ser o campeão da espontaneidade, o fulano que 'fala a verdade na cara dos outros', o tio que 'não tem rabo preso' e por aí vai. Besteira. É cálculo e o papel que ele representa na emissora", diz Kiko Nogueira, no DCM; ontem, Faustão bateu duro na reforma educacional "da porra desse governo", proposta por Mendonça Filho
26 de Setembro de 2016 às 06:20
247 – O jornalista Kiko Nogueira, diretor-adjunto do DCM, analisou o fato de a Globo ter liberado o apresentador Faustão para bater "na porra desse governo" Temer (saiba mais aqui).

Globo libera Faustão para bater "nessa porra desse governo" Temer


:
Responsável direta pelo golpe parlamentar de 2016, a Globo emitiu, neste domingo, seu primeiro sinal de insatisfação com os rumos do governo Temer, que, até agora, só produziu recessão e déficit público; a crítica veio no "Domingão do Faustão" e teve como tema a reforma do ensino médio, proposta por Mendonça Filho; "Então, o país que mais precisa de educação faz uma reforma com cinco gatos pingados que não entende porra nenhuma, que não consulta ninguém e aí, de repente, tira a educação física, que é fundamental na formação do cidadão", disse ele; neste domingo, o ex-presidente FHC disse que Temer corre o risco de não chegar a 2018 e nas redes sociais ganha força a tese de que ele poderá ser derrubado em 2017, para que o País tenha eleições indiretas
"Quando até o Faustão critica o governo Temer, é porque a coisa está realmente no bico do corvo e os velhos ladravazes precisam se coçar", diz Kiko. "Não há nada que Faustão faça que não seja combinado com seus donos. Ele passa a impressão de ser o campeão da espontaneidade, o fulano que 'fala a verdade na cara dos outros', o tio que 'não tem rabo preso' e por aí vai. Besteira. É cálculo e o papel que ele representa na emissora."
"A Globo ganha na aparência de imparcialidade, escalando uma de suas estrelas para se indignar com uma corja que a emissora ajudou a colocar no poder, e o governo do golpe fica mais uma vez ciente de quem manda na parada", afirma ainda. "2017 está aí. Ou Temer reage ou cai para que eleições indiretas ponham Meirelles no trono."
Leia, aqui, a análise de Kiko Nogueira no DCM.
25 de Setembro de 2016 às 21:08 //

247 – Responsável direta pelo golpe parlamentar de 2016, a Globo soltou, neste domingo, seu primeiro disparo contra o governo Michel Temer, no "Domingão do Faustão" 
"Então, o país que mais precisa de educação faz uma reforma com cinco gatos pingados que não entende porra nenhuma, que não consulta ninguém e aí, de repente, tira a educação física, que é fundamental na formação do cidadão", disse o apresentador, para aplausos dos presentes no estúdio.
"Aí, quando você percebe, um país como esse, que tem uma saúde de quinta [categoria], não tem segurança, não tem emprego, não tem respeito a profissões básicas. O país que não respeita professor, pessoal da polícia e pessoal da área de saúde e um país que não oferece o mínimo ao seu cidadãos", completou Faustão.
Assista aqui:

Globo libera Faustão para bater "nessa porra desse governo" Temer


:
Neste domingo, numa nova entrevista, o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, um dos articuladores do golpe, também afirmou que Temer corre o risco de não chegar a 2018 (leia aqui).
O ex-deputado Eduardo Cunha (PMDB-RJ), que foi usado e cuspido nesse processo, também ameaça revelar, no seu livro que será lançado em dezembro, o que todos sabem: o impeachment foi uma conspiração parlamentar (leia aqui).
Até agora, o governo Temer tem-se mostrado incapaz de encaminhar as reformas prometidas e seus sócios no projeto de tomada de poder começam a desembarcar.
Esse movimento alimenta, nas redes sociais, a tese do "golpe dentro do golpe". Temer começaria a apanhar agora, mas só seria derrubado em 2017, evitando, assim, o risco de eleições diretas – que teriam o ex-presidente Lula como favorito. Nesse cenário, o atual Congresso, manchado pela corrupção, escolheria um novo presidente pela via da eleição indireta.
A esse respeito, confira o que postou Tico Santa Cruz:
Parece que minha tese não é lá tão absurda assim.
Quando o Faustão começa a descer o pau no Governo Temer no horário nobre da Globo, é porque o sinal verde foi dado para sangrar o golpista! A imprensa de modo geral já começa a oferecer uma postura mais firme contra o Vampiro.
Isso será de forma pontual até o fim de 2016.
A partir das primeiras horas de 2017 que Michel Temer aguarde o chumbo grosso que virá de todos os lados. Está cada vez mais evidente que ele será derrubado para que o Congresso faça eleições indiretas!
Aguardem...

copiado  http://www.brasil247.com/

Quem foi El Negro? A história do homem que foi empalhado e exibido como um animal

  Quem foi El Negro? A história do homem que foi empalhado e exibido como um animal

  • Frank Westerman - "El Negro and Me"
    Escritor holandês foi em busca da história por trás de El Negro
    Escritor holandês foi em busca da história por trás de El Negro
No início do século 19, era "moda" entre os europeus recolher animais de vários lugares do mundo, levá-los para casa e colocá-los em exposição.
Um comerciante francês, porém, foi além e trouxe para casa o corpo de um guerreiro africano.
O escritor holandês Frank Westerman descobriu o homem em um museu espanhol há 30 anos e decidiu investigar a história por trás dele. Leia, a seguir, o seu relato:
AVISO: Algumas imagens ao longo deste texto podem ser consideradas ofensivas
"Uma cerca de arame decorativa nas cores nacionais - azul, branco e preto - marca a sepultura de um dos mais famosos - e menos invejados - filhos de Botswana: "El Negro".
Seu local de descanso em um parque público na cidade de Gaborone, sob um tronco de árvore e algumas pedras, faz lembrar o túmulo de um soldado desconhecido.
Uma placa de metal diz:
El Negro
Morreu em 1830
Filho da África
Trazido para a Europa morto
Levado de volta a solo africano
Outubro de 2000

Frank Westerman - "El Negro and Me"
Local onde ficaram os restos mortais de El Negro em Botswana
Sua fama vem de suas viagens póstumas - que duraram até 170 anos - como as para exibições em museus na França e na Espanha. Gerações de europeus ficaram boquiabertos com o corpo seminu, que havia sido empalhado por um taxidermista. Ali ele ficou, sem nome, exibido como um troféu.
De volta a 1983, como estudante universitário na Holanda, eu acidentalmente acabei "cruzando" com ele em uma viagem de carona para a Espanha. Eu havia passado uma noite na região de Banyoles, uma hora ao norte de Barcelona. A entrada do Museu Nacional de História de Darder era coincidentemente na porta ao lado.
"Ele é real, você sabia?", uma garota de colégio gritou para mim.
"Quem é real?"
"El Negro!", a voz dela ecoou pela praça, acompanhada de roncos e risadas de seus amigos.
No instante seguinte, uma senhora apareceu saindo de um salão com um casaco sobre os ombros. Ela abriu o museu, me vendeu um ingresso e apontou na direção da Sala de Répteis.
"É ali", ordenou. "Aí vá passando pelas salas no sentido horário".
Quando eu estava no caminho para o Quarto Humano, um anexo do Quarto dos Mamíferos, passei uma parede de escalada com macacos e esqueletos de gorilas - e, de repente, comecei a tremer. Estava ali, o Negro de Banyoles, empalhado. Uma lança na mão direita, um escudo na esquerda. Curvando-se devagar, ombros levantados. Seminu, apenas com uma tanga laranja.
El Negro era um homem adulto, pele e ossos que mal chegavam a um cotovelo. Ele estava mantido em um recipiente de vidro no meio do carpete.
Ele era um ser humano, mas sendo exibido como qualquer outra amostra de animais selvagens. A história ditou que o taxidermista era um europeu branco e, seu objeto, um negro africano.
O reverso era inimaginável.
Ao ver essa cena, meu rosto corou e senti as raízes do meu cabelo formigarem - simplesmente por causa de uma sensação difusa de vergonha.
Senhora Lola não tinha uma explicação. Ela nem tinha um catálogo ou um livro com a história daquele homem. Me deu um cartão postal que dizia apenas "El Negro" e que trazia atrás "Museu Darder - Banyoles. Bechuana".
"Bechuana?", eu questionei.
Senhora Lola continuou olhando para mim. "Os cartões custam 40 pesetas cada", ela disse.
Comprei dois.

Frank Westerman - "El Negro and Me"
Cartão Postal vendido no Museu Darder, na Espanha
Vinte anos depois, decidi escrever um livro sobre a extraordinária jornada de El Negro de Botswana (Bechuana) até Banyoles e de volta de novo.

História

A história começa com Jules Verreaux, comerciante francês que, em 1831, testemunhou o enterro de um guerreiro no interior da África, ao norte da Cidade do Cabo, e depois retornou à noite - "não sem correr risco de morte" - para escavar até o corpo e roubar a pele, o crânio e alguns ossos.
Com a ajuda de um fio de metal que funcionava como a espinha, pedaços de madeira que funcionavam como membros, e enrolando tudo isso em jornais, Verreaux preparou e preservou as partes do corpo roubadas.
Depois, ele colocou o corpo em um navio para Paris junto com outros corpos de animais conservados. Em 1831, o corpo do africano apareceu em uma exposição na Rua Saint Fiacre, número 3.
Em reportagem, o jornal Le Constitutionnel elogiou o "corajoso Jules Verreaux, que deve ter encarado perigos entre nativos que são tão selvagens quanto negros". Esse texto deu o tom e, de repente, o "índivíduo do povo de Botswana" atraía mais atenção do que as girafas, hienas ou avestruzes.
"Ele é pequeno em postura, tem pele preta e sua cabeça está coberta por uma lã de cabelos crespos", dizia o jornal.
Mais de meio século depois, o "Botswano" apareceu na Espanha. À margem da exibição mundial em Barcelona em 1888, o veterinário espanhol Francisco Darder apresentou o homem em um catálogo como "O Botsuano", com um desenho em que ele é visto usando uma ráfia (como uma folha de palmeira) e segurando uma lança e um escudo.
Até o século 20, já tendo sido levado a Banyoles, uma cidade pequena ao pé dos Pirineus, as origens do homem haviam sido majoritariamente esquecidas, até que ele ficou conhecido como simplesmente "El Negro".
Em algum momento, a tanga laranja "reveladora" que Jules Verreaux havia colocado nele foi substituída por curadores católicos romanos do Museu de Banyoles, que o vestiram com uma saia laranja muito mais "recatada". Sua pele também ganhou um polimento de sapato para fazer com que ele parecesse ainda mais negro do que era.
De pé em sua "caixa" de exibição, levemente curvado e com um olhar penetrante, El Negro incorporava de uma forma mais pungente e angustiante, os aspectos mais obscuros do passado colonial europeu. Ele confrontava visitantes de frente com teorias de "racismo científico" - a classificação das pessoas como inferiores ou superiores baseado em medidas de crânio e outros pressupostos falsos.
Conforme o século 20 avançava, El Negro se tornou mais um anacronismo. Não só houve aumento de culpa e consciência sobre o fato de que seu corpo e túmulo haviam sido violados, como ficou clara a ideia de que ele, como um artefato europeu do século 19, refletia ideias que haviam se tornado universalmente insustentáveis.
Tudo começou a mudar em 1992, quando um médico espanhol de origem haitiana sugeriu, em uma carta para o jornal El País, que El Negro deveria ser retirado do museu. Os Jogos Olímpicos estavam vindo para Barcelona naquele ano e que o lago de Banyoles era um dos locais de competição. Com certeza, escreveu Alphonse Arcelin, atletas e espectadores que visitassem o museu local poderiam se sentir ofendidos com a visão de um homem negro empalhado.
O pedido de Arcelin foi apoiado por nomes importantes, como o do pastor americano Jesse Jackson, e o jogador de basquete Magic Johnson. O ganês Kofi Annan, então secretário-geral assistente da ONU, condenou a exibição dizendo que ela era "repulsiva" e "barbaramente insensível".
Mas, devido à resistência forte do povo catalão, que abraçou El Negro como "um tesouro nacional", foi preciso esperar até março de 1997 para El Negro desaparecer de vista do público. Ele foi armazenado e, três anos depois, em 2000, começou sua jornada final de volta para casa.

Volta à África

Seguindo longas consultas com a Organização para a Unidade da África, a Espanha concordou em repatriar os restos humanos para Botswana para um novo enterro cerimonial em solo africano. O primeiro passo da repatriação foi uma viagem à noite em um caminhão para Madri.
Uma vez na capital, seu corpo empalhado foi "desmontado" e desprovido de tudo de "não humano" que havia sido adicionado, como seus olhos de vidro. El Negro foi "desfeito", como se tudo o que Jules Verraux havia feito para conservar seu corpo por 170 anos tivesse sido rebobinado.
Sua pele, porém, estava dura e rachou. Por causa disso e por causa do tratamento com polimento de sapato, eles decidiram mantê-la na Espanha. De acordo com uma reportagem de jornal, ela foi deixada no Museu De Antropologia de Madri.
Assim, o caixão que ia para Botswana tinha apenas o crânio, além de alguns ossos de braços e pernas. Os restos do guerreiro de Botswana ficaram expostos na capital Gaborone, onde cerca de 10 mil pessoas passaram por ele para prestar as últimas homenagens. No dia seguinte, 5 de outubro de 2000, ele foi enterrado em uma área cercada no Parque Tsholofelo.

Foi um enterro cristão. "No espírito de Jesus Cristo", o padre disse com a mão na Bíblia, "que também sofreu". Um toldo, apoiado por dois postes, protegeu os convidados de honra do sol.
"Nós estamos preparados para perdoar", disse o então ministro das Relações Exteriores Mompati Merafhe para o público. "Mas não podemos esquecer os crimes do passado, para que não corramos o risco de repeti-los."
Houve bênçãos, cantos e danças.
Depois disso, o túmulo foi esquecido por muitos anos e o gramado ao redor dele foi usado como campo de futebol. Mais recentemente, porém, o governo de Botswana restaurou o local, transformou-o em uma área de visitação e colocou várias placas explicando a importância dele.
Mas, em 2016, ainda não se sabe quem esse "filho da África" era, qual era seu nome ou exatamente de onde ele veio.
Uma autópsia feita em um hospital catalão em 1995, no entanto, trouxe algumas informações. O homem que se tornou mundialmente conhecido como El Negro viveu cerca de 27 anos. Ele tinha cerca de 1,35m e 1,4m e provavelmente morreu de pneumonia."
   COPIADO  http://noticias.uol.com.br/