Translate

domingo, 24 de setembro de 2017

Resgate na Cidade do México interrompido por novo terremoto de 6,1 graus


Resgate na Cidade do México interrompido por novo terremoto de 6,1 graus


postado em 23/09/2017 12:10

Os esforços para encontrar vida nos prédios destruídos da Cidade do México pelo terremoto que causou quase 300 mortes tiveram de ser interrompidos nestes sábado por causa de um novo tremor de 6,1 graus, que gerou nervosismo entre a população.
O Serviço Sismológico Nacional, que preliminarmente havia informado uma magnitude de 6,4, informou que o movimento teve seu epicentro no estado de Oaxaca, no sul do país, golpeado no início de setembro por outro terremoto.
Centenas de pessoas da capital saíram às ruas angustiadas e em pânico.
"Não temos até o momento informes de novos incidentes derivados desse tremor", afirmou à cadeia Televisa o titular da Defesa Civil da prefeitura, Fausto Lugo.
No entanto, o tremor desatou temores sobre os efeitos que possa ter tido sobre eventuais sobreviventes ainda debaixo dos escombros e nos prédios já atingidos pelo terremoto anterior.
De acordo com o protocolo, os resgatistas em um prédio desabado na zona central de Roma-Condesa saíram de cima dos escombros rapidamente, enquanto que os familiares das pessoas presas correram a se juntar a seus outros entes queridos.
"Depois de verificar que as condições são seguras, as atividades de resgate serão reiniciadas o mais breve possível", afirmou no Twitter o titular nacional da Defesa Civil, Luis Felipe Puente.
"Desta vez, não sentimos o chão se mover, foi como os outros terremotos a que estamos acostumados", afirmou Pablo Martínez, que deixou correndo seu prédio com a filha de seis anos nos braços.
Ate acontecer o novo tremor, os esforços para encontrar vida nos prédios prosseguiam pela quarta noite consecutiva, mas sem esperanças de encontrar sobreviventes, o que deverá levar as autoridades dar início do uso de máquinas pesadas para remover os escombros.
As equipes de resgate equipadas com tecnologia de ponta, no entanto, ainda se concentram em cinco pontos da cidade onde há possibilidade de encontrar pessoas vivas, segundo Luis Felipe Puente.
Ante as notícias de que máquinas pesadas começarão a ser usadas, o governo federal e a prefeitura garantem que serão esgotados todos os esforços para resgatar pessoas com vida.
O protocolo posterior a terremotos dá 72 horas como janela de possibilidade de sobrevivência de uma pessoa sob escombros, mas em outros desastres a resistência humana superou expectativas, como no terremoto de 1985 que deixou mais de dez mil mortos na Cidade do México.
O prefeito Miguel Angel Mancera disse à Televisa que acredita que ainda deve haver cerca de 30 pessoas entre os escombros, mesmo sem garantia que todos continuem com vida.
- Espectativa -
Os familiares das pessoas presas nos escombros assinaram durante a madrugada uma autorização para que sejam usados tratores para remover os escombros de maneira cirúrgica de tal forma que os trabalhos de busca sejam acelerados sem que se arrisque a integridades dos soterrados.
"Isso nos está dando muitas esperanças porque não estávamos vendo avanços. Nos disseram que foram detectadas zonas onde há vida e os cães de busca confirmaram isso", declarou à AFP Paola Solorio de 35 anos, que espera notícias de três parentes.
Em plena madrugada, os resgatistas atacaram correntes a um guindaste para retirar grandes blocos de escombros, uma tarefa longa e trabalhosa.
Em Tlalpan, no extremo sul da capital, onde na sexta havia esperanças de duas pessoas com vidas, os resgatistas insistem em seguir trabalhando, apesar de as equipes japonesas e israelense já terem se retirado.
Os resgates foram feitos em meio a cenas comoventes, pessoas cantando o hino nacional, os japoneses fazendo reverência ante um corpo sem vida ou um voluntário dizendo a uma jovem resgatada de que teria de convidar a todos para um jantar.
Segundo o último balanço, o terremoto deixou 298 mortos: 160 na Cidade do México, 73 no Estado de Morelos, 45 em Puebla, 13 no Estado do México, 6 em Guerrero e um em Oaxaca, segundo a Defesa Civil federal.
Foram identificados oito estrangeiros entre as vítimas: uma panamenha, um argentino, um espanhol, um sul-corano e quatro taiwanesas.
copiado https://www.em.com.br/app/

Resgate na Cidade do México é retomado após novo terremoto de 6,1 graus

Resgate na Cidade do México é retomado após novo terremoto de 6,1 graus

AFP / Pedro PardoEquipes de resgate trabalham a noite toda na esperança de achar sobreviventes
Os esforços para encontrar vida nos prédios destruídos da Cidade do México pelo terremoto que causou 305 mortes tiveram de ser temporariamente interrompidos neste sábado por causa de um novo tremor de magnitude 6,1, que gerou nervosismo entre a população e causou duas mortes.
O novo terremoto matou duas mulheres na capital por infarto. Mais uma mulher e um homem também morreram no estado de Oaxaca.
As ruas da Cidade do México foram cenário de pânico pouco antes das 08h00 de sábado (13h00 GMT, 10h00 horário de Brasília), quando um alto alarme que antecipa terremotos soou.
Gente de pijama, com o rosto cansado e tenso, saiu apavorada. Pais abraçando seus filhos, mulheres idosas chorando, muitos cuidando de seus animais de estimação, principalmente cachorros, que resistem à angústia no ambiente.
O presidente Enrique Peña Nieto disse no Twitter que os maiores danos em Oaxaca são uma ponte que deverá ser reconstruída e estruturas com danos anteriores que acabaram desabando.
- Resgate retomado -
Os trabalhos de resgate em aproximadamente cinco pontos de edifícios colapsados foram temporariamente suspensos, quando os socorristas deixaram os escombros depois de ouvir o alerta.
O tremor só foi percebido em algumas áreas da capital porque o epicentro foi a cerca de 700 km, ao contrário do terremoto anterior, a aproximadamente 150 km e que não pôde ser alertado com os habituais 40 segundos de antecedência por causa dessa proximidade.
Depois de certificarem que os pontos resgate tinha garantias de segurança, os trabalhos foram retomados com a esperança de encontrar pessoas vivas mesmo após as 72 horas de sobrevivência que os especialistas dão a uma pessoa presa nos escombros.
Em um prédio colapsado no bairro central Rima-Condesa, os tratores foram religados a fim de retirar pesados destroços em uma operação cirúrgica para acelerar o resgate, mas evitando o risco de ferir possíveis sobreviventes.
Os familiares das pessoas presas nos escombros assinaram durante a madrugada uma autorização para que esses tratores fossem usados depois de conversar com socorristas de México, Estados Unidos e Israel.
- Fé -
"Viemos salvar vidas. Tem que ter fé e pensar que elas (as pessoas presas) estão em um lugar onde conseguem ar e assim sobreviver. Sabemos onde as pessoas estão, onde elas deveriam estar, e é lá que estamos trabalhando", disse à AFP Karin Kvitca, socorrista israelense de 29 anos.
Conforme passam as horas, os familiares vão demonstrando maiores sinais de cansaço e desespero.
Alguns rezam e choram por seus entes queridos a um virgem de gesso de meio metro e com um longo véu branco que foi colocada atrás de uma estrutura instalada para os familiares.
"Vamos fazer uma oração para colocar nas mãos de nossa virgem todos os socorristas e nossos irmãos que estão ali (entre os escombros)", diz Elisa Montesinos, uma catequista de 33 anos.
AFP / Alain BOMMENEL, Laurence SAUBADUCírculo de Fogo do Pacífico
Nas redes sociais correm rumores de que grandes tratares começarão a remover os escombros, mas o governo federal e a prefeitura insistem que esgotarão todos os esforços para resgatar pessoas com vida.
Os tratores até agora só foram usados com autorização dos familiares na intenção de agilizar os resgates.
Em Tlalpan, no extremo sul da capital, onde na sexta havia esperanças de duas pessoas com vidas, os resgatistas insistem em seguir trabalhando, apesar de as equipes japonesas e israelense já terem se retirado.
Os resgates foram feitos em meio a cenas comoventes, pessoas cantando o hino nacional, os japoneses fazendo reverência ante um corpo sem vida ou um voluntário dizendo a uma jovem resgatada de que teria de convidar a todos para um jantar.
A Proteção Civil da cidade escreveu no Twitter que até este sábado foram resgatadas 69 pessoas de imóveis colapsados após o terremoto de terça-feira.
O prefeito da capital, Miguel Ángel Mancera, disse à Televisa neste sábado que se calcula que ainda há cerca de 30 pessoas que podem ser salvas nas buscas.
Segundo o último balanço, o terremoto deixou 305 mortos: 167 na Cidade do México, 73 no Estado de Morelos, 45 em Puebla, 13 no Estado do México, 6 em Guerrero e um em Oaxaca, segundo a Defesa Civil federal.
Foram identificados oito estrangeiros entre as vítimas: uma panamenha, um argentino, um espanhol, um sul-corano e quatro taiwanesas.

copiado https://www.afp.com/pt/

Após incursão do Exército, governo diz que crise na Rocinha foi controlada

Após incursão do Exército, governo diz que crise na Rocinha foi controlada

AFP / CARL DE SOUZAMulher passa com filho no colo por soldados armados na Rocinha em 23 de setembro de 2013
Autoridades disseram neste sábado que a Rocinha, a maior favela do Rio de Janeiro, está novamente sob controle depois que o Exército foi enviado para apoiar a polícia no combate a traficantes, após dias de intensos tiroteios.
Cinco supostos criminosos foram detidos nas últimas horas e houve apreensão de fuzis, granadas e pistolas, informou a polícia.
No sétimo dia consecutivo de tiroteios em diferentes pontos da comunidade, o secretário de Segurança do estado, Roberto Sá, disse que a chegada de 950 soldados na sexta-feira fez que a crise fosse contida.
"Houve uma estabilidade, que está sendo mantida", disse Sá em coletiva de imprensa.
Os militares entraram a pedido do governo do Rio.
"Não temos um prazo para sair", confirmó el general Mauro Sinott.
Enquanto o Rock in Rio ocorre sem contratempos, os mais de 70.000 moradores da Rocinha tentavam voltar à normalidade neste sábado diante da forte presença de soldados, tanques e muita revista policial.
Os soldados haviam sido instruídos inicialmente a apenas cercar a comunidade para que a polícia e as forças especiais pudessem entrar no morro na busca pelos suspeitos.
Criminosos que aparentemente tentavam fugir da Rocinha pela mata se chocaram com policiais no Alto da Boa Vista. O confronto deixou três muertos e quatro feridos, um deles menor de idade, segundo informações da Polícia Civil citadas na imprensa.

copiado https://www.afp.com/pt/

Nova perícia muda causa da morte de procurador argentino

Nova perícia muda causa da morte de procurador argentino

AFP/Arquivos / Juan MabromataProcurador argentino Alberto Nisman em coletiva de imprensa em 14 de janeiro de 2015 em Buenos Aires
Um relatório da Polícia Militar argentina que, dois anos e meio depois da morte do procurador Alberto Nisman, concluiu que ele foi assassinado, em contraposição a uma perícia anterior, acrescentando mais incerteza a um complicado caso judicial.
A perícia da PM argentina foi entregue na sexta-feira ao procurador federal Eduardo Taiano, encarregado do caso pela morte de Nisman, morto em 2015 quando investigava o atentado ao centro judeu AMIA, que deixou 85 mortos e 300 feridos em 1994.
A nova perícia, assinada por 28 especialistas, aponta que Nisman teria sido drogado com cetamina -que apareceu em estado puro não metabolizado- e golpeado no nariz, no fígado e nas pernas antes de ser assassinado no banheiro de sua casa, como noticiaram neste sábado os jornais La Nación e Clarín.
A família defende a hipótese de homicídio, enquanto a justiça investiga o caso como "morte duvidosa", mas admitiu a possibilidade de assassinato ao passar o caso do foro penal ao federal em setembro de 2016.
A perícia da PM se contrapõe a que havia sido feita pelo prestigiado Instituto Médico Legal, subordinado, na Argentina, à Corte Suprema de Justiça. Para o IML não havia indícios de homicídio nem da presença de outra pessoa na cena do crime, inclinando-se por um suicidio.
O IML é "consistente e muito bem fundado", disse neste sábado à rádio 10 a titular da Câmara Penal, María Laura Garrigós de Rébori.
Nisman foi encontrado morto no banheiro de seu apartamento com um tiro na cabeça em 18 de janeiro de 2015.
Junto a seu corpo havia uma pistola Barsa 22, de onde saiu a bala e que o procurador tinha pedido emprestada a um colaborador, Diego Lagomarsino, que até agora só foi processado por ter emprestado a arma.
No dia seguinte ao de sua morte, Nisman explicaria no Congreso sua denúncia contra a então presidente Cristina Kirchner (2007-2015), a quem acusou de tentar acobertar iranianos acusados pelo atentado à AMIA, em troca de acordos comerciais.

copiado https://www.afp.com/pt/

Dois tremores de 5,3 e 2,8 graus atingem o oeste da Argentina

Dois tremores de 5,3 e 2,8 graus atingem o oeste da Argentina

AFP / TED ALJIBEUm sismo de magnitude 5,3 e outro de 2,8 foram registrados em San Juan, oeste da Argentina
Um tremor de magnitude 5,3 e outro de 2,8 foram registrados neste sábado (23) na província de San Juan, a oeste da Argentina, com uma diferença de apenas 23 minutos entre ambos, informou o Instituto Nacional de Prevenção Sísmica (Inpres).
"Não foram reportados danos ou feridos. Isso é bastante normal em San Juan, não deve provocar alarme", declarou Gerardo Sánchez, técnico do Inpres para o canal Crónica TV.
O primeiro tremor, de 5,3 graus, ocorreu às 17H25 GMT (14H25 no horário de Brasília) e foi registrado a 129 km de profundidade. Seu epicentro estava localizado a 93 km a noroeste da cidade de San Juan, que está a 1.200 km a oeste de Buenos Aires, de acordo com os dados preliminares publicados no site do Inpres.
A cidade de Iglesia, que possui cerca de 10.000 habitantes, está localizada a 47 km do epicentro e foi a que mais sentiu o tremor.
O segundo episódio, de 2,8 graus, aconteceu às 17H48 GMT (14H48 no horário de Brasília), com epicentro a 38 km a noroeste de San Juan e a 104 km de profundidade.
San Juan, uma zona sísmica limítrofe com a cordilheira dos Andes, sofreu em 1944 um terremoto de 7,0 graus e uma profundidade entre 11 e 16 km, que causou mais de 5.000 mortes.
copiado https://www.afp.com/pt/

Villas Bôas reage à polêmica declaração de general sobre crise política brasileira

Villas Bôas reage à polêmica declaração de general sobre crise política brasileira

AFP / Mauro PIMENTELMembros das Forças Armadas em operação na favela da Rocinha no Rio de Janeiro, no dia 23 de setembro de 2017
A afirmação do general Antonio Hamilton Mourão de que o Exército cedo ou tarde se verá obrigado a buscar uma solução para a atual situação política brasileira causou preocupações e, para espanto de muitos, não foi alvo de qualquer tipo de sanção pública.
O comandante do Exército, general Eduardo Villas Bôas, em compensação, se viu obrigado a afirmar na sexta-feira, uma semana depois das polêmicas declarações de Mourão, que sua instituição está "comprometida com a consolidação da democracia".
Mourão havia afirmado que se a crise que sacode o país - onde os principais dirigentes no poder e a oposição enfrentam graves acusações de corrupção - não encontrasse uma solução, o Exército acabaria por resolver o problema.
"Ou as instituições solucionam o problema político, pela ação do Judiciário, retirando da vida pública esses elementos envolvidos em todos os ilícitos, ou então nós teremos que impor isso", declarou Mourão na reunião de uma loja maçônica divulgada na internet.
Em seu comunicado, Villas Bôas recordou que apenas ele está habilitado para manifestar "o posicionamento institucional da Força" e indicou que já havia informado ao ministro da Defesa, Raul Jungmann, sobre "as circunstâncias e as medidas adotadas sobre o episódio envolvendo o general Mourão".
A assessoria de imprensa do Exército, consultada pela AFP, se limitou a dizer que as medidas mencionadas "foram tomadas no âmbito interno do Exército" e que o comandante Villas Bôas "considera encerrado o episódio".
Jungmann convocou na segunda-feira Villas Bôas "para esclarecer os fatos" e falar "sobre as medidas pertinentes a serem tomadas". Na sexta, indagado pela imprensa, afirmou igualmente que Villas Bôas já havia "tomado todas as medidas necessárias e o caso está encerrado".
A Procuradoria Geral de Direitos Humanos, subordinada ao Ministério Público Federal, não se mostrou tão convencida disso e, na quarta-feira, afirmou em uma nota que "não existe na ordem constitucional brasileira a hipótese de intervenção autônoma das Forças Armadas, em situação interna ou externa, independentemente de sua gravidade".
- Militar intocável -
Não é a primeira vez que Mourão, de 64 anos, desafia a hierarquia. Em 2015, foi afastado do comando da Região Sul por ter criticado a classe política, em plena tempestade do escândalo do Petrolão.
No mesmo ano, um quartel sob seu comando prestou homenagem ao coronel Carlos Alberto Brilhante Ustra, ex-chefe do DOI-Codi, centro de detenção e tortura do regime militar (1964-85).
Mourão foi transferido para a Secretaria de Finanças do Exército, uma função considerada burocrática, mas, mesmo assim, goza de um prestígio que faz dele praticamente intocável, como revela o recente episódio.
"Mourão é um grande soldado, uma figura fantástica, um gauchão", declarou Villa Bôas em uma entrevista.
"Se fosse castigado, ocorreria provavelmente uma insubordinação, especialmente entre os jovens oficiais, do maior para baixo, porque Mourão é um homem de tropa, não de gabinete. E representa o pensamento da tropa", declarou à AFP o analista Nelson Düring, editor do site especializado DefesaNet.
Para o jornalista Merval Pereira, colunista de O Globo, "a impossibilidade de punir o general mostra que, com o agravamento da crise e o crescente envolvimento de seus principais nomes, inclusive o do próprio presidente Michel Temer, o governo está esgotando sua legitimidade para mediar confrontos".
O Exército foi mobilizado nos últimos meses para dar apoio à polícia na grave crise de segurança pública provocada pelas guerras entre traficantes de drogas em Estados como o Rio de Janeiro, Espírito Santo ou Rio Grande do Norte.
As Forças Armadas são a instituição de maior prestígio no Brasil, em um momento de grande desgaste dos demais poderes.
Segundo pesquisa Datafolha de junho, 43% da população confiam "muito" na instituição militar, 40% confiam "um pouco" e 15% "não confiam".
A pesquisa mostra de 65% "não confiam" na Presidência e 69% também "não confiam" em nenhum partido político.
A crise econômica e de segurança, conjugada com as denúncias de corrupção, deram asas ao deputado de extrema-direita Jair Bolsonaro, segundo nas intenções de voto para 2018.
Quem o supera é o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (2003-2010), que poderá ter sua candidatura impugnada e ser preso se condenação ditada pelo juiz Sérgio Moro a quase dez anos por corrupção passiva for confirmada em segunda instância.
copiado https://www.afp.com/pt/

Künftiger Bundestag dürfte der größte aller Zeiten werden

Künftiger Bundestag dürfte der größte aller Zeiten werden

dpa/AFP/Archiv / Michael KappelerAbgeordnete im Bundestag
Der künftige Bundestag dürfte der größte aller Zeiten werden. Laut am Sonntagabend von ARD und ZDF veröffentlichten Hochrechnung wird das Parlament auf 690 bis 705 Abgeordnete anwachsen. Der hohe Anstieg gegenüber den derzeit 630 Parlamentariern erklärt sich aus der großen Zahl der erwarteten Überhangs- und Ausgleichsmandate.
Der Hochrechnung von Infratest dimap von 21.57 Uhr zufolge kommt die Union auf 239 Sitze, die SPD auf 150. Die AfD erringt demnach 93 Mandate, die FDP 77. Die Linke bekommt 66 Mandate, die Grünen 65 Sitze im neuen Bundestag.
Der Hochrechnung der Mannheimer Forschungsgruppe Wahlen für das ZDF von 21.46 Uhr zufolge kann die Union mit 243 Mandaten rechnen, die SPD mit 153. Die AfD würde 98 Mandate erhalten und die FDP 77. Linke und Grüne bekommen demnach jeweils 67 Mandate.
Den bislang größten Bundestag gab es 1994 mit 672 Abgeordneten. Ohne Überhang und Ausgleichsmandate hätte der Bundestag eigentlich nur 598 Sitze, je zur Hälfte Direkt- und Listenmandate.

copy  https://www.afp.com/de/nachrichten/